O Leitor e o Escrevedor de Cartas

O Curioso Caso de Benjamim Button
06/02/2009
A dúvida
16/02/2009

O Leitor e o Escrevedor de Cartas

   

kate

 Kate Winslet faz-me lembrar – com sua atuaçfernandaão em o Leitor- , por outro viés, da atuação de Fernanda Montenegro no filme Central do Brasil. Ambas, também , numa análise comparativa sob ângulos distintos se aproximam na densidade de seus personagens.

Desde o começo do filme, fiquei a imaginar as duas atuações separadamente, mas dialeticamente interligadas pela  ignorância da trajetória de suas vidas. Tanto numa quanto noutra, as estórias se conectam pela presença marcante de meninos-homens com naturezas maduras e mulheres de persnoalidade fortes, mas sensíveis.

Não parei de pensar nesta relação entre as duas personagens-estórias.

Concordo que Winslet não está tão perfeita quanto em “Foi apenas um sonho”.  Aliás, sua participação neste filme é marcante e memorável. Sua atuação é misteriosa e emblemática, revelada na frustração interna de não viver intensamente – como havia prometido seu marido – a vida sem parâmetros provincianos e rotineiros.  Viver , para ela,  era aventurar-se , mesmo que seu marido fosse um estivador sem perspectivas  maiores de abundância , mas que pudesse garantir experiências novas. Sair da mesmice, era poder viver além daquela visão pequena da vida doméstica; de vizinhos excêntricos; de rotina simplória…

Bem, de volta a Winslet ,em o Leitor, encontramo-na pura, como uma jóia bruta;  ignorante e , ao mesmo tempo sensível. Como bruta, é quase um animal, mas capaz de ensinar a um mancebo todos os passos para a descoberta de um novo prazer. Na ignorância das letras, ela é mestra em sentir cada momento do personagem de  um romance qualquer ao ponto de se emocionar. E nessa confusão de sentimentos é capaz de se apaixonar, entregar-se a esta paixão e de fugir dela ao mesmo tempo. Portanto, é difícil não elogiar sua atuação no filme. Toda sua robustez se aplaina com o tempo. A prisão torna-a resignada. Mas voltar ao mundo dos letrados não mais fazia parte de sua vida.

O filme conta com Ralph Fienes, mas este não rouba a cena. No entanto, enquanto  jovem, outro ator em sua pele, surge como um alento para a apagada passagem de Fienes. Mas o jovem ator comove e convence. E nos remete quando, no começo de nossas vidas adultas, sempre há alguém que deixou alguma marca. Não da suástica, mas a marca do amor além das letras.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *