We’re all criminals
17/03/2009
Salve, Salve…
25/03/2009

Ainda Sobre os Pet Shop Boys

psb

YES, nós somos os PET SHOP BOYS

 

 

Como bom fã, já solicitei meu CD e quero ouvi-lo o mais rápido possível. A expectativa é que o álbum seja tão bom quanto VERY. E isto provoca uma grande excitação.

Este talvez seja o ano dos PSB. Começou com a homenagem do BRIT awards e o reconhecimento do duo para a música pop- e  por que não dizer mundial.

Falar dos PSB é sempre uma honra. Sinto-me orgulhoso de termos uma banda ainda em atividade, e em plena produção artística. Quando lembro disso, sempre, sempre vou recordar das palavras de um jornalista da Rede Globo, em início de carreira, expressando sua opinião a respeito da produção dos PSB. Esse repórter falara que os PSB não tinham mais verve para criação. Desnecessário comentar.

Mas depois que ele fez esse comentário veio; logo após VERY, que vendeu 19.000.000 de cópias:

 

Pois é, parece que a produção cresceu.

E ainda falando de orgulho. Tenho uma carta do prórpio fã clube que acusou o recebiomento de meu “Tribute Book” que escrevi sobre a influência das músicas do PSB em minha vida. Isto é uma relíquia de fã, que vou escanear para publicar aqui , e que vou guardar pelo resta da vida- desculpe-me o exagero de fã, mas fã é assim mesmo.

Ainda não posso assegurar que será um grande sucesso – apesar de desejar isso plenamente-, mas ao escutar Love etc. posso garantir que tem muito mais do PSB original, dos garotinhos franzinos da West end, do que suas incursões  em Release num mundo mais pop-rock. YES , YES  vem para celebrar o sucesso dos PSB como uma banda viva e cheia de altivez musical.

O símbolo do SIM na capa do album, além de ser uma representação artítica e estilizada de uma das obras do artista Gerhard Richter, que os PSB viram numa catedral em Cologne Alemanha, ele representa o símbolo da afirmação para muitas coisas.

Para mim, é uma afirmação da música dos PSB como algo ainda vivo e criativo. È uma afirmação para a voz das minorias; valores sociais e de , dialeticamente, negação da violência da guerra. Enfim, é a celebração da vitalidade do duo.

 

Para uma viagem musical de interpretação do mundo dos PSB, sugiro a visita ao olhar de fã e admirador de Wayne sobre as letras dos PSB. É um ótimo relato de um cátedra em PSB. È um ponto de vista completo de toda a obra. Para fã, é uma leitura obrigatória.

http://www.geowayne.com/psbhtml.htm

 

2 Comentários

  1. Jose Antonio disse:

    Dizer sim a vida é celebrar a diversidade.

    • robertomuniz disse:

      Adoro seu poder de síntese. Em princípio , é isso : sempre dizer sim e se libertar das amarras do preconceito. Poucas palavras , mas sábias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *