Uma estória de um escritor num lugar que não existe livro ( mais uma estória começada e não finalizada)
08/12/2010
O travesseiro da rua
17/12/2010

Um erro emocional

O mais novo livro do escritor Cristovão Tezza, Um erro emocional, não trata apenas de um erro, mas de todos os erros que cometemos quando hesitamos em viver, apaixonar-se, falar o que sentimos.

E a conversa entre Beatriz e o escritor Donetti se fragmenta em pensamentos íntimos divididos com leitor como se eles disputassem sua atenção durante toda a narrativa. Entre as conversas e ilações, somos levados a entrar no mundo de cada personagem que se alterna entre experiências recentes ou reminiscências. 

O escritor consegue desvendar e desnudar os personagens nas suas mais íntimas necessidades e frustrações num recurso de linguagem que revive as narrativas de Wolf, adentrando a mente das personagens como se estes conversassem com o leitor. E ainda há um recurso que coloca a personagem Beatriz numa conversa paralela que, às vezes, se imagina relatando sua experiência recente a essa amiga que não aparece, mas surge no compartilhamento de sua conversa com Donetti.

Confesso que adorei essas conversas- que, às vezes, adentram um mundo muito particular, de difícil desvendamenteo- entre os personagens misturando as leituras internas das atitudes de cada um em relação ao outro. Todos parecem ter cometido um erro emocional ao não se comunicarem intimamente como se revelam em seus pensamentos mais intestinos. Estes erros se comunicam numa falta de comunicação que se realiza no âmbito de suas emoções mais recônditas.  As memórias se refugiam na narrativa do escritor que de alguma forma rememora lembranças mais comuns e mais sutis, mas que refletem na interação do escritor e da sua maior fã.

Os papéis amarelos rabiscados revelam um pouco do escritor que se apaixona pela revisora ideal. Beatriz é essa revisora que conhece todas as linhas do escritor, mas que se resguarda diante da figura materializada dele. E nesse propósito de revisar, ela conhece o escritor cuja obra aprendeu a amar. Por seu lado, Antônio Donetti, decadente e velho, comete o erro emocional ao revelar seu amor.

Por um momento o diálogo entre os personagens rememoram as cenas vividas no apartamento do casal (que funciona como a única noite em que se dá a conversa do romance em questão)  vividos por Grace Kelly e Ray Miland em Dial M for Murder de Alfred Hitcock. As emoções são disfarçadas, como se eles conversassem sobre segredos que nunca poderiam ser revelados. Mas o vinho é um nivelador dessa batalha e coloca em campo os personagens com suas armas mais vulneráveis. Ler Um Erro Emocional e aprender um pouco sobre nossos erros, especialmente o que cometemos e os que a nós são submetidos, para o aprimoramento de nossas atuais relações.

Um erro emocional é literatura madura, repleta de jogos mentais que desanuviam os temores dos traumas.  A incomunicabilidade faz parte das relações interpessoais, mas o cometimento de um erro sempre oportuniza a possibilidade do conserto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *